IMG_4332_web

Segundo o Dicionário Informal, urubuservar é “observar de longe”. Expressão que ficou famosa pela música “Maracatu de Tiro Certeiro”, de Chico Science & Nação Zunbi, trata-se provavelmente de um neologismo coletivo, pois não se pode precisar nem quem empregou, nem quando foram fundidas pela primeira vez essas duas palavras: urubu e observar.

Também não consigo precisar a primeira vez que ouvi. Lembro que costumávamos a brincar na família durante os jogos e brincadeiras, dizendo como uma espécie de blefe: estou urubuservando você. Sempre me considerei um bom urubuservador. Gosto de ficar de longe, tentando compreender o que está ali acontecendo, produzindo o devir.

Interessante como realmente parece que o urubu nos observa de longe, como que a espreita do que vai nos acontecer. Afinal é isso que os urubus fazem. Aguardam pacientes pelo destino alheio para do que restar tirar o seu sustento. Inabalável, lá do alto, ele ronda quem dar sinal de fraqueza, sempre torcendo contra, ele festeja o fracasso da vida.

Nessa primeira gravura da Série Sanpaku foram utilizadas as figuras do sanpaku e do urubu, personagens antagônicos que aqui são vist0s como se tivessem certa cumplicidade, talvez como o sádico e o masoquista. O sanpaku trago da minha própria experiência de vida, pois fui apontado como tal ainda na época de menino. O urubu é uma apropriação da figura goeldiana do urubu.

Oswaldo Goeldi, um dos fundadores da gravura artística brasileira, em sua obra traz de forma recorrente aspectos do abandono e do descaso, característica comum a escola expressionista a que tinha se aproximado no período que estudou na Europa, principalmente através de seu mentor, Alfred Kubin.

A matriz da gravura “Urubuservando” foi gravada em Neolite, material sintético que substitui o linóleo na linoleografia. A primeira tiragem foi feita utilizando papel Fabriano de 200g no formato A5, havendo possibilidade de impressão de até cinco séries distintas, utilizando diferentes papeis e formatos, mas sempre em pequenas tiragens.

Seria um autorretrato? Não sei dizer com certeza, mas pela minha propensão a um narcisismo um tanto reverso, é possível que sim.

[cptr]